Conte sua História: voluntária do Sergipe encerra a série


Ana Paula caracterizada de Anjo da Enfermagem.
(FOTO: Arquivo pessoal)
O último relato da série Conte Sua História, desta temporada, traz as experiências da voluntária do núcleo Sergipe, Ana Paula Machado, ou “Anjo Palito”, como é conhecida. A estudante fala do aprendizado com o período de atuação, e das trocas que acontecem entre paciente e voluntário. Leia:

“Ser um Anjo da Enfermagem é ter um sonho realizado. A cada visita, um presente, uma lição. Às vezes me pergunto se não estou sendo egoísta, pois se eu faço algum bem a essas crianças, ele é pouco diante do grande bem que elas me fazem. É como se meu espírito se elevasse e eu chegasse mais próximo de Deus. Quando estou perto delas, me sinto como se estivesse no pico da montanha mais alta do mundo, onde tudo é perfeito.

O convívio com tantas crianças acometidas pelo câncer me ensinou que a cura que necessitamos não é a do corpo, e sim da alma. Que a dor, por maior que seja, vai passar. Que o amor e o abraço confortam. Que a doença não escolhe idade, que o sofrimento nos aproxima. Temos que acreditar que, depois de tanto sofrimento, haverá felicidade como recompensa da dor.

Esse trabalho me trouxe grandes amigos com asas invisíveis, que irei carregar no peito para sempre. Tenho certeza que nos encontraremos em outros momentos, afinal, Deus nos escolheu para fazermos crianças sorrirem, e essa missão não pode acabar nunca.

A minha vida pessoal depois dos anjos cresceu significativamente! Sou mais feliz, produzo mais, tenho mais paciência e compreensão, sou mais mãe, porque mesmo tendo meu tempo mais reduzido com a minha família o tempo que tenho tem muito mais qualidade, e meus filhos veem em mim o exemplo de amor, caridade e ajuda ao próximo, sem esperar nada em troca, e sem precisar conhecer quem ajuda.

Nunca pensei que, algum dia na minha vida, eu tivesse tanta satisfação em sentir cansaço depois de servir a alguém. A sensação de dever cumprido é a melhor que podemos ter e quando chego em casa, a noite, e vou dormir, sinto que estou mais protegida e tranqüila.

Aos amigos, peço para que olhem ao seu redor e encontrem algo que possam fazer pelo próximo, pois, por mais que seu tempo seja curto, há sempre uma forma de se organizar para fazer algo exclusivamente por amor. Aos meus filhos, meu esposo, meus pais e irmãos, agradeço pela ajuda e incentivo que me dão, e por acreditar que eu sou capaz de realizar um trabalho como esse. Eu amo vocês! Um beijo no fundo da alma”.

Compartilhar post

Bookmark and Share

0 comentários :

Postar um comentário