Anjos da Enfermagem entram para o CNES e reafirmam parceria com Hospital São Vicente de Paulo



Representantes do Instituto Anjos da Enfermagem se reuniram
com Irmã Rosa, Diretora do Hospital São Vicente de Paulo


O Instituto Anjos da Enfermagem passa agora a fazer parte do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), do Sistema Único de Saúde (SUS). Isso significa dizer que o Instituto é agora a referência em Casa de Apoio à Criança com Câncer na Região do Cariri, trabalhando em parceria com as Secretarias de Saúde Estadual e de Barbalha, através da Coordenadoria Regional de Saúde.


Baseado nisso, o Instituto Anjos da Enfermagem participou na última quinta-feira, 27, de uma reunião junto à diretoria do Hospital São Vicente de Paulo, em Barbalha, para reafirmar a parceria e integração entre as duas instituições, que já existe há sete anos. A partir de agora, toda criança que receber o diagnóstico de Câncer através do Hospital será encaminhada para o Centro de Apoio à Criança com Câncer - Instituto Anjos da Enfermagem, onde receberá suporte psicológico, além de auxílio na alimentação, transporte e hospedagem. Representaram o Instituto Dra. Jakeline Duarte, Coordenadora Nacional; Carlos Neto, Diretor Administrativo; Dra. Fabiana Alves, Tesoreira; e Mayrla Peixoto, Assistente Técnica. A Irmã Rosa, Diretora do Hospital, comandou o encontro onde foram apresentadas as necessidades e os auxílios que as duas partes prestarão.

A Dra. Jakeline aproveitou a reunião para apresentar à Irmã Rosa os novos planos do Instituto para o trabalho junto ao Hospital. Entre eles, destaca-se a parceria para atendimento psicológico das crianças e familiares, ainda internados. O Hospital disponibilizará um espaço para atendimento exclusivo às crianças e o Instituto a profissional, Dra. Ana Hirlene Correia. Atualmente, Dra. Ana Hirlene atende no Centro de Apoio, aqueles que já puderam voltar para casa.

O atendimento psicológico a crianças em todas as etapas da doença é de suma importância, para apoiar não só a elas, mas também aos familiares, a entender e se adaptar à doença. É a psicóloga quem vai ajudar as crianças a cooperar melhor com o tratamento, já que muitas vezes os procedimentos médicos são invasivos e dolorosos. Além disso, o atendimento psicológico as auxilia a externar seus sentimentos e diminuir o medo e a resistência com relação à doença.
Leia mais...